ENSCER

Login
Entrar em Contato
Ver Meus Contatos

Capacitação Profissional > Oficinas Pedagógicas

3ª Série - Manuseando Medidas

A noção de distância está intimamente associada à nossa capacidade motora. É através do esforço motor para alcançar alguma coisa, para localizar um objeto ou ir a algum lugar, que classificamos as distâncias em muito perto, perto, a meio caminho, longe, muito longe, etc. São as chamadas distâncias relativas (Figura 1).

Figura 1

Diversos espaços são definidos a partir da combinação de sistemas motores e sensoriais. Assim define-se um:

Espaço peri-pessoal: como aquele alcançável com as mãos e sensoreado pela visão e tato,


Espaço local: como aquele monitorado pela visão com o auxílio dos movimentos de olhos, cabeça e corpo, e


Espaço territorial: como aquele explorado pelo indivíduo através de rotas e caminhos definidos em um ambiente onde vive.

As noções de distância relativa variam conforme o espaço considerado. Algo que é muito longe no espaço peri-pessoal, pode ser perto no espaço local e muito perto no espaço territorial. Essa relatividade deriva dos referenciais internos utilizados para avaliar as distâncias nos diferentes espaços. Por esse motivo, esses espaços e referenciais são denominados, genericamente, espaços e referenciais egocêntricos.

Para solucionar muitos problemas devido à relatividade dessas medidas, nós também podemos utilizar referenciais externos ou alocêntricos, aos quais associamos linhas numéricas de distâncias, cujas grandezas estão diretamente associadas ao esforço motor, ou aos diferentes sistemas motores utilizados para realizarmos a movimentação entre a referência e o elemento referenciado. Essas linhas são chamadas linhas numéricas primárias.

Essas são também medidas relativas e que dependem do nosso conhecimento de mundo. Por exemplo, a noção de alto e baixo, ajusta-se aos conjuntos de elementos a que se associa: pessoas; casas; edifícios; montanhas, etc.

O aprendizado da noção de área e o treinamento em manusear medidas de área pode:

1. Introduzir o conceito de área a partir da noção de relação entre objetos ( por exemplo, mural e cartolina ), com o intuito de definir um objeto (cartolina) como unidade de medida de área. Uma cartolina com tamanho específico (1 m2) pode, por exemplo, ser apresentada como uma unidade externa de referência ou padrão métrico.

2. Definir o cálculo da área como produto das dimensões comprimento e largura, a partir de problemas práticos relacionados aos interesses das crianças. Pode-se, por exemplo, utilizar uma história em que as crianças construirão um clubinho (veja A Construção do Clube).

A partir dessas noções iniciais, pode-se avançar para atividades que envolvam operações com o conceito de área. Dentre essas atividades, a criança poderá calcular a área do telhado do clubinho, depois a área das telhas que irá utilizar, e finalmente descobrir quantas telhas deve comprar.

:: ENSCER - Ensinando o Cérebro :: 2018 ::